TEATRO & EDUCAÇÃO

“Quando a gente ensina, a gente continua a viver na pessoa que foi ensinada”!

Rubem Alves

Caro leitor(a),

Venho lhe convidar para celebrar o Dia do Nacional do Teatro. Você esqueceu, qual é o dia? É hoje, 19 de setembro. Gostaria de fazer algumas perguntas, mas não saberei a sua resposta. Qual a presença da arte em sua vida? A arte na escola tem ou não valor? Será que a apreciação da arte e o fazer artístico são para poucos, ou podem ser adquiridos e experiênciados por todos? Somos a todo o momento questionados sempre: saber, refletir, criticar, educar, educar-se, mas temos as respostas certas para as perguntas complexas igual a vida que vivemos? A arte imita a vida ou a vida imita a arte?

O Teatro é uma arte milenar e está presente ao longo da história da humanidade. A função do ator ou estudante de teatro não reside somente em o que fazer, mas no como fazer. Por isso, a arte do ator e do estudante de teatro exige entrega, estudos, disciplina, pesquisa, generosidade, presença física e acima de tudo estar aberto para troca de experiências, vivências e autoconhecimento.  Acredito que o papel do teatro é nos deixar mais humanos, nos tornar agente transformador, sonhador e transgressor, quebramos barreiras criadas pela sociedade, visto que a arte é livre e liberta. Antes de ser um modelo, ela deve ser o que é.

Introduzir as artes cênicas no dia-a-dia escolar traz grandes benefícios para os alunos. O teatro tem uma função importantíssima no âmbito da vida dos estudantes, uma vez que desperta o interesse pela leitura, a partir do contato com textos de dramaturgos nacionais e mundiais, gera comunicação, promove o convívio social, a partir de técnicas de oratória e retórica, de expressão corporal, de expressão vocal, intepretação de texto que estimula a criatividade, auto estima, confiança, concentração e, especialmente, contribui com o aprendizado dos conteúdos propostos pela escola.

O grupo de Teatro do Colégio Cave caminha no seu segundo ano de construção, as pedras que encontramos estão sendo apanhadas para construir a “obra de Arte”.  O teatro no colégio não se trata simplesmente de escolher um texto, estudar, decorar, ensaiar e apresentar. Sim, construímos um formato de apresentação no final do ano, um espetáculo, onde os estudantes apresentam uma peça teatral. Contudo é necessário pesquisa e muita dedicação. Tudo isso gera uma expectativa nos pais, professores, colegas, sobre o aluno, de uma execução profissional e na escola não há atores profissionais, mas estudantes de teatro, alunos amantes da arte, ou seja, se trata de uma função lúdica, proposta como atividade didática.  O objetivo do professor dentro da sala de aula é primeiro explorar: as aptidões de expressão – autenticidade, imaginação, apreciação e percepção, as quais são inerentes do ser humano mas requer ser estimulado e incentivado.

Devido a sua importância, permanecemos na luta para que outras escolas possam inserir o teatro como recurso no ambiente educacional, tendo em vista a sua valorização enquanto arte, mas também enquanto didática de ensino. Por fim, segundo Ana Mae Barbosa (2008), “sem a experiência do prazer da Arte, por parte dos professores e alunos, nenhuma teoria da arte-educação será reconstrutora”.  Por isso sigamos, reconstruindo, criando e fazendo presença na sala de aula de processos criativos teatrais repletos de conteúdos importantes onde a apresentação no final do ano é consequência, mas não é a protagonista no processo educativo em Artes.

 

BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e mudanças do ensino na arte. 4.ed – São Paulo: Cortez, 2008

*Marcos Moreira é professor de Teatro do Cave, Licenciado em Teatro pela Universidade Federal da Bahia e Pós-graduando em Ensino de Artes – Técnicas e Procedimento pela Universidade Candido Mendes.