60/70 – Pioneirismo em meio aos “Anos Rebeldes”

Em 1964, um grupo de estudantes de engenharia, tendo a frente Geraldo Ferreira Gomes, deu início a um curso de aperfeiçoamento aos vestibulares de engenharia. Nascia o CAVE. Cinco anos depois, o curso inova com a criação da Terceira Série Integrada, em que o aluno se prepara para o vestibular ao mesmo tempo em que cursa a 3° série do Ensino Médio, um sistema pioneiro no Brasil. E, na década de 70, o CAVE se expande com a abertura do Curso de Aperfeiçoamento aos Vestibulares de Medicina, o CAVEME.

Ainda nos anos 70, o CAVE obteve duas conquistas importantes: a inauguração de sua sede na Halfeld e a direção do “Curso 2001”, especializado em Humanas. Além disso, o curso investiu em uma gráfica própria para a produção de todo o material didático utilizado. Em 1976, o CAVE foi à TV Industrial discutir o vestibular, em um programa ao vivo. E, no ano de 79, o curso se destaca ao promover o primeiro mega show em Juiz de Fora, trazendo o cantor Gilberto Gil.


 

80/90 – Start tecnológico

Nos anos 80, o curso começa um processo de informatização. As provas passam a ser corrigidas no sistema ‘escore padronizado’, antes mesmo da UFJF e da publicação do decreto Federal que tornava esta prática obrigatória no Brasil. Em 1983, é criada a Fundação CAVE que, já em 88, recebe o título de Utilidade Pública Municipal, por meio da Lei 7299, pelos trabalhos desenvolvidos em favor da Educação. No mesmo ano, atento as necessidades sociais, o CAVE edita e distribui um livreto orientando sobre a Aids.

 


 

Em 1992, continuando a informatização do curso, o CAVE passa a utilizar cartões magnéticos para controle de frequência dos alunos e, no ano seguinte, as provas passam a ser corrigidas por leitura óptica. Em 1994, o aluno, que já contava com o sistema online para pagamento da mensalidade em qualquer agência bancária do país, acompanha o surgimento de um projeto ambicioso: o “CAVE 2000”. Com este projeto, o aluno passa a receber informações sobre o vestibular por meio de computadores disponibilizados em quiosques nas sedes do curso.

 


 

 

Em 1996, a carga horária é aumentada em 20% e a área pedagógica ampliada em 300%. A orientação de ‘como estudar’ é intensificada e cria-se o ‘professor stand by’. Em 97 o CAVE entra na Internet e, um ano depois, o curso começa um grande investimento para melhoria da estrutura física.